junho 13, 2013

ESPECIAL: Chegando a Paris

Praça há 2 quadras do hostel em Anvers.

Estamos na Europa e aqui vai um pouco de como começou essa experiência. Vou tentar atualizar com nomes dos lugares e fotos sempre que possível, e quando não der eu coloco algum indicador como lugares que são próximos a onde fui. Depois postarei fotos de lojas e lugares ao longo da viagem. Por aqui, no Facebook e no Instagram. A internet no Hostel precisa de uma senha para cada equipamento e acabei de conseguir uma nova senha para usar o computador. Tablet é bom até certo ponto né?



CHEGANDO
Cheguei por Portugal. Vim pela TAP que sai de BH direto para Lisboa. Vôo tranquilissimo, sem turbulência forte e muito rápido. A imigração foi feita em Portugal e foi OK. Eu estranho um pouco esse jeito de falarem com a gente como se fôssemos culpados e mal intencionados, mas vai ver eu sou sensível.

Depois da imigração ( vale lembrar que o aeroporto de Lisboa é enorme e já queria jogar minha mala de mão no lixo) foi confuso passar pelos detectores de metal e raio- x de malas, ainda acho que abriram e pegaram algo da minha mala de mão, mas estou muito cansada para lembrar o que poderia ser. Houve um certo atraso porque os vôos eram muito próximos, mas foi menos de 1 hora.

A chegada em Paris foi tranquilíssima e sair do aeroporto também. Me deram as informações com a maior boa vontade no guichê e ate imprimiram um mapa para eu me localizar da estação de metrô até o Hostel.

Apesar de tentar falar várias línguas, domino apenas inglês e português, mas hoje em dia as pessoas realmente estão tentando falar mais a nossa língua, especialmente aqui na Europa, porque nós somos bons gastadores (ops... Consumidores). Se você for ficar em algum hostel a chance de falar muitas línguas é maior, já que muita gente não sabe falar francês ou inglês (não são só os brasucas que viajam sem esse acessório).




DIFICULDADES
O francês é muito estranho pra mim e acho difícil falar. Não consigo pronunciar bem e ler então ( ainda mais cansada) é uma missão quase impossível. Tive que me concentrar e o mais complicado foi enfrentar as escadas (nenhuma escada rolante) com as minhas 2 malas. Para completar estava chovendo um bocado e cheguei ao Hostel molhada, cansada e desanimada.


Saí a noite e o metrô continua sendo uma dificuldade. Me perco la dentro, acho mal sinalizado ( as saídas) e já peguei até linha errada. No fim tive que voltar de táxi depois do jantar. Cancelaram o último trem e acabei pegando carona com umas turcas. Pura sorte!

Pegar táxi a noite é bem difícil e demorado. O taxista era libanês e não falava inglês muito bem. Confundia as coisas, mas entendia turco e isso foi sorte minha de ter 3 amigas pra resolver a questão.


Fui até a Champs Élysées e passei pelo Arco do Triunfo. A avenida tem algumas lojas fast fashion e muitas caras. Não rodei muito as lojas, mas entrei na H&M e achei a moda masculina bem mais interessante que a feminina. Os produtos não são os melhores, mas quebram o galho. Boa opção para comprar peças de tendência e agregar um toque se estilo sem gastar muito. Invista em peças básicas e clássicas de melhor qualidade e faça a diferença com toques de fast fashion. As roupas masculinas são bem legais e, como mencionei na fanpage, estão com muitas peças navy (torcendo pelo verão) mescladas especialmente com um laranja bem vivo.


GASTRONOMIA
Na Champs Élysées eu conferi um bistrô com preço acessível e comida legal. Eles usam muito azeite, mas estavam bons os pratos. Fica ao lado do fast food Quick (não lembro o nome, mas ė ao lado mesmo) umas 2 ou 3 quadras abaixo do Arco. 
Custo: 29 Euros
O quê? Salada com torradas e queijo chévre + frutos do mar com beringela e pimentão + sobremesa + taça de vinho tinto. 
Comi muito e poderia pedir um sem sobremesa, mas agora aprendi que a comida deles nem ė tão pouco assim. O restaurante tem outras opções mais baratas de combinações de menu e eu achei válido. Os garçons são um pouco impacientes, aliás, as pessoas aqui me parecem todas impacientes e emburradas, mas vai ver essa minha impressão irá mudar.


PESSOAS
Reparei que existem sim muitas mulheres gordinhas por aqui e a população parece estar ganhando peso em geral. Crianças acima do peso, como no Brasil, são comuns. até o momento achei as mulheres um pouco sem graça, sem sal e desarrumadas (se comparadas ao excesso que vivemos no Brasil principalmente).

Essas impressão deve mudar com o passar dos dias, mas em geral acho que é uma cidade como qualquer outra - nesse sentido - onde a maioria das pessoas é comum e uma pequena parcela é bonita acima da média. Já os homens eu vi muitos estilosos e bem vestidos. Vi menos lindos do que gostaria, mas cheguei agorinha né? Tenho vontade de fotografar todos, mas ainda não me soltei pra pedir permissão.

Já a Cléo Pires - que também veio no meu vôo (Lisboa / Paris) - pessoalmente não é nada diferente do que vemos na telinha. Baixinha, pele e cabelos lindos, toda de preto e lábios carnudos bem rosados. Sonhem com essa.

Postar um comentário