junho 20, 2013

ESPECIAL: Paris - Ame ou Odeie

Paris ficou pra trás e o Trends já está na Escandinávia, mas antes de falar de "coisa boa" a gente vai fazer o balanço da querida Paris pra você leitor.


AME
O que mais posso dizer sobre a beleza visual, natural e arquitetônica de Paris? É de tirar o fôlego. Uma cidade simplesmente deliciosa de andar e andar e andar. Deitar na grama nos jardins - e são muitos - e contemplar as muitas obras da arquitetura ou simplesmente observar as pessoas fazendo nada e jogar conversa fora. Com vinho ou sem vinho é uma delícia.

A arquitetura - especialmente o Grand Palais e a Notre Dame - deixam você de queixo caído a todo momento. Como foi possível fazer obras de arte gigantescas e tão rica em detalhes há tantos anos atrás. A Notre Dame está fazendo 850 anos e me deixou de queixo completamente caído.

A comida em Paris eu achei boa, mas não posso dizer que foi a melhor coisa da minha vida. Talvez eu não conheça bem aonde ir e precisasse ter uma verba bem maior para experimentar as receitas dos deuses da culinária francesa. Comi em algumas vezes muito bem, me surpreendi com um cachorro quente francês em um restaurante (maravilhoso) e também com a refeição mais justa (preço X sabor) que comi ter sido na Champs-Elyseé.

A vista da cidade à noite é de tirar o fôlego. Caminhar à beira do rio é uma beleza barata e indescritível, mas tome cuidado porque a segurança não anda lá essas coisas. Desça peça Champs-Elyseé e depois passe pelo Petit e Grands Palais, faça uma parada na Pont des Invalides para contemplar a vista da Torre Eiffel - sem pressa - de lá siga pela beira do rio passando pelo Musée d'Orsay, Jardim de Tuileries, Musée du Louvre e continue até onde conseguir. meus pés me deixaram na mão em Châtelet, mas fica a seu critério. Um passeio noturno que faz valer a viagem.


ODEIE
O  jeito francês de atender, seja no hotel, no restaurante, na estação de metrô ou qualquer lugar. Coisa rara é alguém sorrir pra você e retribuir o bom humor. Posso dizer que é assim: você fica maravilhado e emocionado com a vista da cidade e os monumentos, depois é só sentar para comer e o seu humor já desaparece com o jeito que vão te tratar. 

Tudo é corrido em Paris. Tudo tem hora. O tempo é longo, mas não dá tempo de nada. Money, money, money. Quanto mais rápido você comer e em menor espaço, melhor. Logo chega outro cliente então não perca tempo. Nada de ficar sentado curtindo a vista, o clima, etc. Essa correria é cansativa e me tirou o clima.

A poluição e o barulho são uma atração a parte. Porque as suas mãos ficam pretas e as unhas idem? Inacreditável! O clima seco não ajuda. Muito creme e protetor labial. Água o dia inteiro já que a sede nunca passa.

Pobreza crescente visível na cidade. Muita gente pedindo dinheiro e mais gente ainda tentando te dar um golpe e te roubar. Para quem é brasileiro já nasce esperto, mas muitos estrangeiros pagam o pato. Não tá bonita a situação não. Em todos os cantos que passei eu vi gente pedindo dinheiro.


No fim o que eu digo é: uma pena que uma cidade tão bela tenha toda essa marra com as pessoas que a visitam. Acho que a experiência seria bem mais positiva se o jeitinho simpático brasileiro operasse por lá. Somos bagunçados, mas de modo geral (nas grandes cidades) tentamos ser simpáticos. Lei da compensação? Pode ser, mas eu não sei o que ganhei. Preços caros e tratamento desrespeitoso não estão com nada nem no Brasil e nem na China.

Para mais sobre viagens é só clicar aqui!

Gostou? Curta o Trends também no Facebook!
Postar um comentário