outubro 01, 2013

ESPECIAL: Deslumbre-se Em Estocolmo

Se tem uma cidade que é de deixar você com o queixo caído e a auto-estima abalada, essa cidade é Estocolmo, na Suécia. Você pode não gostar de loiros e loiras, mas é inegável que a genética dos suecos tem um quê a mais. 



Já tendo passado pela Noruega e Dinamarca eu não esperava me espantar tanto com a aparência das pessoas, mas mesmo após cerca de 9 horas de trem, dominada pelo cansaço eu fiquei alguns segundos embasbacada no meio da estação central. Olhava à minha volta e não conseguia entender aonde eu estava e o que havia acontecido com a população. Das duas uma: ou havia uma convenção de gente linda na hora que eu cheguei, ou é uma beleza que eles realmente possuem.



Obviamente que em qualquer parte do mundo existem pessoas bonitas e outras nem tanto assim, mas na Suécia esse índice parece ser mais alto. Aliás, eles também são altos, magros e acima de tudo muito elegantes.

As mulheres suecas também me surpreenderam com um corpo mais curvilínio do que eu esperava e pernas firmes. Elas não são tão elegantes quanto os homens e costumam pecar no exagerado bronzeamento artificial, mas são muito bonitas (especialmente quando comparadas com as loiras europeias).

Barco também é lugar de happy hour concorrido.

MODA
Os homens suecos possuem - independente da classe social - os cabelos mais perfeitos, bem cortados e arrumados que já vi. É simplesmente impressionante e você vê em qualquer lugar. 

Outra coisa marcante é como eles são cuidadosos com seu estilo. Podem ter a personalidade que for, mas você irá notar uma quantidade bem maior de homens bem arrumados e preocupados com a aparência. Se ele faz um estilo mais esportivo, ainda assim estará muito bem vestido dentro daquele estilo. A condição econômica do país é excelente e isso se nota na quantidade de grandes lojas, restaurantes e bares incríveis, a qualidade do transporte público e a limpeza da cidade.

Definitivamente é "O LUGAR" para se inspirar e também se sentir um pouco inadequado. Difícil competir com eles. A H&M é a marca mais famosa do país, mas o que não falta é muito mais interessante como a Tiger of Sweden.

Chegando ao Sodra Bar.

VIDA NOTURNA E GASTRONOMIA
No verão tudo é festa né? E lá não é diferente. Muitos bares legais e descolados - especialmente na região onde me hospedei, Södermalm, que é famosa por ser descolada e abrigar muitos escritórios de design e moda e restaurantes descolados. 

Um pedacinho da área externa do Sodra Bar e sua vista

O bairro é digamos o que chamamos de trendy e hype. A área é tão cool que é conhecida como SOFO, em relação ao Soho de NYC. Um dos bares mais incríveis que visitei foi o Södra Bar que faz parte do Södra Teatern, uma mistura de teatro, bar, restaurante e casa noturna. Por lá você encontra shows, djs e um bar com a melhor vista da cidade e muita gente bonita, descolada e sueca. Não tem nada de turístico e quem me deu a dica foi uma atendente muito simpática no hostel. Já cheguei com a lista de exigências e ela foi certeira. Faixa etária acima dos 25 anos, mais para 30 em diante.



Saindo do bar e falando de coisa boa - comida - a Nytorget Urban Deli é uma espécie de supermercado orgânico maravilhoso - e caro - mas que vale a visita e você pode programar de ir tomar café da manhã, brunch ou almoçar lá no sábado. Point disputado e super cool.

A entrada da Nytorget Urban Deli

Padaria e outros quitutes frescos estão disponíveis, além do restaurante.

E de volta à curtição, há vários bares e baladas na região. Fui no Scandic Sergel Plaza, um hotel no Sofo que possui cerca de 4 bares no lounge, não cobraram entrada no dia, estava lotado de gente interessante e havia um perfil de público para cada ambiente. A música também mudava e um dos ambientes era uma balada. De toda forma, na região a noite ferve e você não terá dificuldades de encontrar algo interessante como .

Fim de noite na balada tem gente dormindo né? Mas não se engane. O local fechou às 2 da madrugada.

LUXO
Se você quiser conhecer um lado bem rico da cidade, ver carrões, gente bebendo muito champagne e pessoas extremamente bem vestidas, uma atmosfera mais esnobe, onde as grandes lojas se concentram, a dica é em Estocolmo Central você se dirigir até Norrmalm e Östermalm. São áreas que ficam lado a lado e certamente vão te deixar impressionado.

Também é possível almoçar, jantar, tomar café e fazer compras nem tão caras na região, mas o luxo está por lá.

Vista do café do Fotografiska. 

MUSEUS
A cidade tem uma quantidade enorme de museus, mas eu confesso que não fui em muitos. No entanto te aconselho a não perder em hipótese alguma a chance de visitar o Fotografiska, museu de fotografia que além de exposições incríveis possui um café no último andar com uma das vistas mais maravilhosas da cidade. Vale ficar lá tomando café e admirando a paisagem. A loja do museu também é muito bacana.

A vista do Fotografiska vale pelo menos 30 minutos do seu roteiro.

NEM TUDO SÃO FLORES
Eu tenho duas reclamações sobre a cidade. A primeira é que a qualidade dos serviços deixa a desejar em muitos bares e restaurantes. Poderia ser melhor especialmente nos pubs. Mesmo em lugares elegantes eles têm um hábito de expulsar o consumidor quando chega a hora de fechar. Não se assuste. É expulsar mesmo! Os seguranças chegam e dizem que você precisa ir embora naquele instante. Caso esteja tomando algo se prepare para virar a bebida e dar o fora. Foi assim em todos os lugares que fui à noite.

Acho que poderiam fazer isso de forma mais sutil, começar uma hora antes a suspender a bebida e depois acender as luzes para dar um sinal, mas a coisa rola de repente e nos pega meio de surpresa (nós turistas que não estamos acostumados com os horários de funcionamento).


A outra grande dificuldade que tive foi fazer contato com os suecos. Eles são extremamente reservados, solícitos quando você precisa de ajuda, mas achei até difícil pedir ajuda já que eles não estabelecem contato visual facilmente. Em quase uma semana eu não fiz sequer um amigo em Estocolmo que fosse de lá. E olha que eu sou uma pessoa que fala pelos cotovelos. Nem mesmo as crianças e bebês respondiam às minhas tentativas de contato.

Tirando essa parte da convivência social eu achei a cidade muito legal e voltaria com certeza para passar uns 15 dias. 

Conclusão: Escandinávia é muito cara, mas vale cada centavo.

Para mais sobre viagens é só clicar aqui!

Gostou? Curta o Trends também no Facebook!
Postar um comentário